CASEÍNA: PIOR PROTEÍNA PARA HIPERTROFIA

09/12/2016

Esse estudo comparou o efeito agudo da ingestão de whey de soro de leite, caseína e soja (proteínas de diferentes tempos de absorção, lenta e rápida) sobre a síntese proteica miofibrilar (MPS), tanto em repouso como pós exercício.

A barra branca representa o efeito da ingestão dessa proteína em repouso e a preta, pós atividade física.

A ingestão de proteína de soro de leite resultou em um aumento maior nas concentrações de aminoácidos essenciais de sangue, aminoácidos de cadeia ramificada e leucina que a caseína ou a soja.

A MPS mista em repouso (determinada na perna não exercida) foi maior com a ingestão de proteínas mais rápidas (soro = 0,091 ± 0,015, soja = 0,078 ± 0,014, caseína = 0,047 ± 0,008% / h); A MPS após consumo de soro foi ~ 93% maior que a caseína (P <0,01) e ~ 18% maior que a soja (P = 0,067). 

Um resultado semelhante foi observado após o exercício (soro> soja> caseína); MPS após o consumo de soro de leite foi ~122% maior que a caseína (P <0,01) e 31% maior que a soja (P <0,05). 

O MPS também foi maior com o consumo de soja em repouso (64%) e após exercício de resistência (69%) em comparação com caseína (ambos P <0,01). 

Conclui-se que a simulação induzida pela alimentação de MPS em homens jovens é maior após o consumo da proteína do soro de leite ou o consumo de proteína de soja do que a caseína, tanto em repouso quanto após exercício de resistência; Além disso, apesar de ambas serem proteínas de rápida absorção, o hidrolisado de soro de leite estimulou MPS em maior grau do que a soja após o exercício de resistência. Estas diferenças podem estar relacionadas com a rapidez com que as proteínas são digeridas (isto é, rápida vs. lenta) ou possivelmente a pequenas diferenças no teor de leucina de cada proteína.

Fonte: Ingestion of whey hydrolysate, casein, or soy protein isolate: effects on mixed muscle protein synthesis at rest and following resistance exercise in young men. Journal of Applied Physiology Published 1 September 2009 Vol. 107 no. 3, 987-992.

Por Daiana Maeda.